ALDEIAS

Vila Cova de Alva

serra do açor
Serra do AçorVila Cova de Alva
Vila Cova de Alva
vila cova de alva, arganil
Aldeia do Xisto com passado histórico. Uma rua onde parte significativa das portas e janelas apresentam nas suas molduras elementos manuelinos, transporta-nos ao até à arquitectura do séc. XVI.

Nobre aldeia, de dignidade exemplar, marcada pela dimensão dos seus edifícios e espaços públicos. O rio Alva, que corre ao fundo, resplandece de limpidez e frescura. Em redor habitam os montes que envolvem e resguardam Vila Cova de Alva, convidando a um passeio nas brandas sombras da sua luxuriante vegetação.

É a Aldeia do Xisto que possui o maior conjunto monumental, nomeadamente por nela uma ordem religiosa ter estabelecido um convento.

Caminhe ou descanse pelos espaços públicos da aldeia, casos do Largo da Igreja Matriz e do Pelourinho, onde coabitam dois solares do século XVII. Descubra os muitos monumentos religiosos e civis, como o Solar dos Condes da Guarda, o edifício dos Osórios Cabrais ou ainda a Rua Quinhentista.

Mas há ainda o rio Alva que, com a sua praia fluvial, é uma refrescante tentação nos dias quentes.

IMPLANTAÇÃO
Vila Cova de Alva é uma aldeia de apreciável dimensão, com muitas novas construções na envolvente ao núcleo central. A via que passava pela muito antiga Igreja de S. João de Alqueidão e que se dirigia ao ponto de atravessamento do Alva, estruturou a malha urbana da aldeia. A passagem da EN342 alterou essa estruturação, que se passou a estabelecer nas bermas desta via, aliviando o núcleo antigo de modernas intervenções.

O material de construção predominante é o xisto, recorrendo-se ao granito para os elementos nobres das construções, nomeadamente os vãos - ombreiras, padieiras, soleiras das portas e peitoris das janelas. A quase totalidade das fachadas encontra-se rebocada e pintada de branco. Nos seus meandros uma rua quase exclusivamente composta por portas e janelas manuelinas transporta-nos ao século XVI.

  • território

    A aldeia está implantada na margem esquerda do Rio Alva, onde terminam as abas da vertente norte da Serra do Açor, e é atravessada pela EN342, que a liga a Arganil e a Avô. As suas gentes souberam proteger os férteis terrenos agrícolas das zonas mais baixas, desenvolvendo-se a povoação ao longo da elevação que culmina no local da Igreja Matriz.

  • natureza

    Zona de montanha densamente florestada, de relevo bastante acidentado, integra o bloco montanhoso mais importante de Portugal: a Cordilheira Central.

    No interior da cerca conventual existia um Teixo (Taxus baccata) secular. Deixou no local alguns descentes.  A Zelha (Acer monspessulanus), uma espécie arbórea pouco comum, ocorre com abundância na margem esquerda do rio Alva, junto à aldeia.

    O Alva é rio que começa a recolha das suas águas nos cumes das encostas da serra da Estrela orientadas a sudoeste. Num troço do seu curso, faz de fronteira entre as serras do Açor e da Estrela. Aumenta quando encaixa o caudal do rio Alvoco, na Ponte das Três Entradas. Depois das suas águas servirem para muitos mergulhos pelas praias fluviais que vai banhando, acalmam-se na albufeira da Barragem das Fronhas, antes de encontrarem o Mondego um pouco a montante de Penacova, onde acaba um percurso de 106 km.

  • história e estórias

    Vila Cova de Alva é povoação de origem remota, à qual foi concedida carta de foral pelo Bispo de Coimbra, D. Estevão Annes Brochardo (bispado: 1304-1318). Os bispos de Coimbra são tidos como donatários da região desde o reinado de D. Sancho I. Este foral é confirmado, em 1471, pelo Bispo de Coimbra D. João Galvão e primeiro Bispo-Conde de Arganil. Terá recebido renovação de foral em 1514, por D. Manuel I.
    No “Cadastro da população do Reino (1527)” consta no termo da vila de Coja a existência da então denominada Villa Cova onde viviam 89 moradores. O foral foi renovado, em 1540, pelo rei D. João III.  Nos séculos XVI e XVII, estiveram aqui radicados importantes ramos das famílias Abranches e Figueiredo. Em 1708, era denominada Vila Cova de Sub-Avô e ainda pertencia ao Bispo de Coimbra. O concelho foi extinto em 1836.

    Quanto à origem do nome, numa das versões do PORTUGALLIAE de Fernando Alvaro Seco, datado de 1600 - tido como uma das primeiras representações cartográficas da totalidade do território continental português - encontramos “Vª COVA” na localização da atual povoação, nome que terá evoluído para Vila Cova de Sub-Avô, com o significado de, seguindo o curso do rio Alva, estar depois de Avô. Esta designação subsistiu até 1924, data a partir da qual passou a designar-se por Vila Cova de Alva. Também foi designada Vila Cova dos Frades, nome derivado do convento existente.

    O mecenas do convento
    De acordo com a lápide tumular no transepto da igreja do convento, Luís da Costa Faria doou todos os terrenos, 40$000 réis para a alimentação da comunidade que construiu o imóvel, várias casas na vila e três mil cruzados de dinheiro a juro, em troca de sepultura no lado da Epístola, junto à Capela de Nª Srª da Conceição, cuja imagem também mandou executar numa oficina do Porto. Entrou para o convento em data incerta e aí veio a falecer, no dia 19 de abril de 1730.

    O Convento e a terceira invasão francesa
    Numa relação pormenorizada efetuada pelo Padre Manuel Lopes Graça sobre os efeitos da passagem das tropas francesas em 1811, é referido que estas atacaram barbaramente o convento, em particular a sacristia, estragando os arcazes e respetivas gavetas, queimando a roupa branca e ornamentos, roubando o Santo Lenho e várias relíquias, profanando os altares da igreja e rasgando o psaltério e o antifonário. A imagem do Senhor dos Passos foi profanada, tendo-lhe sido arrancado um braço. O órgão ficou afetado pela remoção de alguns tubos.

    Convento construído com madeira da Mata da Margaraça
    Em 1713, o Bispo de Coimbra, António de Vasconcelos e Sousa, efetua doação de vários bens para a construção do convento, nomeadamente madeira da Mata da Margaraça (atualmente incluída na Paisagem Protegida da Serra do Açor), que na altura lhe pertencia.

    O arquiteto do convento
    Será de João Coelho Coluna - um frade ou leigo natural de Alvito - a autoria do projeto do convento.  A pedra tumular da sua sepultura na galilé da igreja do Mosteiro possui a data 1756.

    Uma aldeia com romance
    “Vale de Crugens”, de 1958, da autoria de Mário Braga, não é mais do que Vila Cova do Alva. Mais novela que romance, acompanha o personagem Maria da Natividade, nome que é o mesmo da padroeira da aldeia. Fala-nos da "casa do convento vasta e com um torreão em bico em cada canto", "antigo mosteiro de frades", do negro poço da Fraga no rio, dum Zé dos Peixes, dos músicos a ensaiar na Casa do Povo; das notícias da cheia que vêm de Avô e em Pomares a força da corrente "arrastara um ror de Oliveiras", o mesmo acontecendo nas freguesias de Arganil; fala-nos que os homens vão para Lisboa procurando "uma vida mais limpa", partindo com a vontade de voltar para montar um negócio na terra, mas que, realmente só regressam carregados de saudade.
    (adaptado de www.miradourodevilacova.com)

    A Confraria do Bucho (Arganil)
    A criação e existência desta confraria - que desde 2006 promove o produto - tem muito a ver com as características distintas e com a fama da qualidade do bucho produzido em Vila Cova do Alva.

  • património

    Vila Cova de Alva tem um património religioso assinalável. A construção do Convento de Santo António, no início do século XVIII, exerceu benéfica influência religiosa em toda a freguesia.

    Ainda merecem destaque:

    • Igreja Matriz
    • Igreja do antigo Convento de Santo António
    • Igreja da Misericórdia
    • Solar Abreu Mesquita
    • Solar dos Condes da Guarda
    • Rua Quinhentista
    • Ermida de São João de Alqueidão
    • Pelourinho
    • Pedra de armas quinhentista
      Pedra de armas (Castelo Branco, Britos, Costas e Castros) e pedra gravada com a data 1536, implantada na frontaria de um edifício actualmente descaracterizado.
    • Casa da Praça (ou Edifício dos Osório Cabral)
      Construído no início do século XVII, foi a antiga Casa da Câmara, Tribunal e Cadeia. Janelas de sacada com verga cornijada e guardas em ferros da época. 
    • Capela de Nossa Senhora da Assunção
      Portal com arco de volta perfeita, sobre o qual se sobrepõem um corpo com a pedra de armas (em calcário   - Figueiredo, Fernandes e Melos - sobre a inscrição da data 1629, tendo como timbre um leão com uma folha de figueira na boca) e um frontão com duas volutas que ladeiam uma cruz. Acima do beirado, sineirita com sino. Um óculo quadrado no lado da Epístola e outro redondo no lado direito.
    • Fonte de Santa Teresa
      Fonte de mergulho, em granito, com nicho no frontão. Exibe a inscrição “E.1878”.
    • Fonte da Praça
      Fontanário com água canalizada.
    • Fonte de São Sebastião
      Fonte profusamente decorada com azulejos.
    • Alminha
      Instalada sobre a guarda da ponte, datada de 1790, com painel de azulejos de 1952.
    • Alminha
      Junto à Ermida de S. João de Alqueidão
  • produtos
    • Hortícolas
    • Uvas e vinho
    • Azeitona e azeite
    • Cabrito
    • Borrego
    • Queijo de ovelha, queijo de mistura (ovelha e cabra)
    • Bucho
  • como chegar

    De Norte e de Sul
    Na A1 sair na saída 13 (Coimbra) e seguir pelo IP3 até à saída 13 (Arganil). Tomar o IC7 e depois seguir pela N17. O concelho de Arganil é servido pelo IP3, o IC8 e duas estradas nacionais, a EN17 (Estrada da Beira) sentido Este-Oeste, e EN342 sentido Sudoeste-Nordeste.

    De Espanha
    Entrando por Vilar Formoso, tomar a A25/E80 na direcção Aveiro, até à saída 20 (Mangualde). Na rotunda sair na primeira à direita e continuar pela N234. Após Nelas entrar no IC12, sair na saída 1 (Tábua). Virar à esquerda, tomar a N234-6. Passar Tábua e seguir a N337. Na EN17 encontrará placas. Dirija-se à localidade de Ponte das três Entradas.

  • nome dos habitantes
    vilacovenses
  • padroeiro
    nossa senhora da natividade
  • ex libris
    igreja do convento de santo antónio

Contactos

explorar

restauração
Restaurante Quinta da Palmeira Romantic Boutique
Restaurante Quinta da Palmeira Romantic Boutique
Cerdeira, Arganil
restauração
João Brandão
João Brandão
Oliveira do Hospital
alojamento
Quinta da Palmeira – Country House Retreat & Spa
Quinta da Palmeira – Country House Retreat & Spa
Arganil
alojamento
Casa da Moenda
Casa da Moenda
Benfeita
alojamento
Casa do Rosmaninho
Casa do Rosmaninho
Pardieiros
alojamento
Hotel Rural Quinta da Geia
Hotel Rural Quinta da Geia
Aldeia das Dez
alojamento
Casa do Secolinho
Casa do Secolinho
Aldeia das Dez
alojamento
A Boa Vida do Campo
A Boa Vida do Campo
Tábua
alojamento
Casa da Eira de Cima
Casa da Eira de Cima
Aldeia das Dez
alojamento
Quinta da Moenda
Quinta da Moenda
Alvoco das Várzeas
alojamento
Aqua Village Health Resort & SPA
Aqua Village Health Resort & SPA
Caldas de São Paulo
institucional
União de Freguesias Vila Cova de Alva e Anceriz
União de Freguesias Vila Cova de Alva e Anceriz
Vila Cova de Alva, Arganil
percurso
PR4 AGN - Caminho do Xisto de Vila Cova de Alva
PR4 AGN - Caminho do Xisto de Vila Cova de Alva
percurso
PR4 OHP - Caminho do Xisto de Avô - À Volta do Alva
PR4 OHP - Caminho do Xisto de Avô - À Volta do Alva
Hotel Rural Quinta da Geia
percurso
Centro Cyclin'Portugal da Serra do Açor - Coja (P31 - Verde)
Centro Cyclin'Portugal da Serra do Açor - Coja (P31 - Verde)
percurso
Centro Cyclin'Portugal  da Serra do Açor - Coja (P32 - Azul)
Centro Cyclin'Portugal da Serra do Açor - Coja (P32 - Azul)
percurso
Centro Cyclin'Portugal  da Serra do Açor - Coja (P33 - Vermelho)
Centro Cyclin'Portugal da Serra do Açor - Coja (P33 - Vermelho)
percurso
Centro Cyclin'Portugal  da Serra do Açor - Coja (P34 - Preto)
Centro Cyclin'Portugal da Serra do Açor - Coja (P34 - Preto)
património
Torre da Paz
Torre da Paz
institucional
Junta de Freguesia de Benfeita
Junta de Freguesia de Benfeita
Benfeita, Arganil
aldeia
Benfeita
Benfeita
percurso
Estrada Panorâmica Benfeita - Piódão
Estrada Panorâmica Benfeita - Piódão
percurso
PR1 AGN - Caminho do Xisto da Benfeita - A Frescura das Cascatas
PR1 AGN - Caminho do Xisto da Benfeita - A Frescura das Cascatas
Quinta da Palmeira – Country House Retreat & Spa
percurso
Subida Épica: Ponte das Três Entradas - Colcurinho
Subida Épica: Ponte das Três Entradas - Colcurinho
Hotel Rural Quinta da Geia
percurso
PR3 OHP - Caminho do Xisto da Aldeia das Dez Nos Passos do Ermitão
PR3 OHP - Caminho do Xisto da Aldeia das Dez Nos Passos do Ermitão
Hotel Rural Quinta da Geia
percurso
PR2 OHP - Caminho do Xisto da Aldeia das Dez - Rota Imperial
PR2 OHP - Caminho do Xisto da Aldeia das Dez - Rota Imperial
Hotel Rural Quinta da Geia
percurso
PR1 OHP - Caminho do Xisto Aldeia das Dez - Pelas Várzeas do Alvoco
PR1 OHP - Caminho do Xisto Aldeia das Dez - Pelas Várzeas do Alvoco
Hotel Rural Quinta da Geia
património
Igreja Matriz de Aldeia das Dez - S. Bartolomeu
Igreja Matriz de Aldeia das Dez - S. Bartolomeu
património
Casa do S
Casa do S
aldeia
Aldeia das Dez
Aldeia das Dez
património
Igreja Matriz de Aldeia das Dez
Igreja Matriz de Aldeia das Dez
institucional
Junta de Freguesia de Aldeia das Dez
Junta de Freguesia de Aldeia das Dez
Aldeia das Dez, Oliveira do Hospital
percurso
Passeio da Primavera: Ponte das Três Entradas - Aldeia das Dez
Passeio da Primavera: Ponte das Três Entradas - Aldeia das Dez
percurso
Estrada Panorâmica: Aldeia das Dez - Sobral de São Miguel
Estrada Panorâmica: Aldeia das Dez - Sobral de São Miguel
percurso
Estrada Panorâmica: Aldeia das Dez - Benfeita
Estrada Panorâmica: Aldeia das Dez - Benfeita
percurso
PR3 TBU - Caminho do Xisto de Tábua - Rota das Pontes
PR3 TBU - Caminho do Xisto de Tábua - Rota das Pontes
percurso
Centro Cyclin'Portugal de Tábua (P1 - Verde)
Centro Cyclin'Portugal de Tábua (P1 - Verde)
percurso
Centro Cyclin'Portugal de Tábua (P5 - Preto)
Centro Cyclin'Portugal de Tábua (P5 - Preto)
Quinta da Palmeira – Country House Retreat & Spa
percurso
Centro Cyclin'Portugal de Tábua (P6 - Preto)
Centro Cyclin'Portugal de Tábua (P6 - Preto)
percurso
Centro Cyclin'Portugal de Tábua (P3 - Vermelho)
Centro Cyclin'Portugal de Tábua (P3 - Vermelho)
percurso
Centro Cyclin'Portugal de Tábua (P4 - Preto)
Centro Cyclin'Portugal de Tábua (P4 - Preto)
percurso
Centro Cyclin'Portugal de Tábua (P2 - Azul)
Centro Cyclin'Portugal de Tábua (P2 - Azul)
património
Ponte Medieval de Alvoco das Várzeas
Ponte Medieval de Alvoco das Várzeas

próximos eventos

evento
Project@X – Viagem à Luz das Estrelas
Project@X – Viagem à Luz das Estrelas
25 jun 2022 - 24 set 2022, 22:00
Fajão
evento
Concurso de fotografia "A VER Figueiró dos Vinhos" 2022
Concurso de fotografia "A VER Figueiró dos Vinhos" 2022
10 ago 2022 - 30 set 2022
evento
Verão na Ribeira com os Invertebrados Aquáticos
Verão na Ribeira com os Invertebrados Aquáticos
18 ago 2022 - 25 ago 2022, 14:00
evento
Escalada no Zebro
Escalada no Zebro
20 ago 2022 - 17 dez 2022, 14:00
Estreito
evento
XJazz 2022: Sara Serpa e André Matos em Gondramaz
XJazz 2022: Sara Serpa e André Matos em Gondramaz
27 ago 2022, 21:30
Gondramaz
evento
Fado na Praia Fluvial da Ronqueira
Fado na Praia Fluvial da Ronqueira
27 ago 2022, 21:30
evento
XJazz - Encontros do Jazz nas Aldeias do Xisto 2022
XJazz - Encontros do Jazz nas Aldeias do Xisto 2022
27 ago 2022 - 24 set 2022, 21:30
Cerdeira, Gondramaz, Aldeia das Dez, Sobral de São Miguel, Janeiro de Cima, Sarzedas
evento
Fado nas Aldeias do Xisto
Fado nas Aldeias do Xisto
27 ago 2022 - 10 set 2022, 21:30
Talasnal, Pedrógão Pequeno
evento
Astrofotografia na Barragem de Santa Luzia
Astrofotografia na Barragem de Santa Luzia
27 ago 2022, 21:30